Foto: Thiago Diniz

Bora dar um Rolé?

Tá todo mundo careca de saber e cansado  do blá, blá bá turístico que gira em torno do Rio de Janeiro. Praia, Cristo, Pão de Açúcar, Copacabana, Ipanema e Leblon. É a cidade retratada e contada pelos olhos do Manoel Carlos na novela das 20h. Penso que enquanto tentam mostrar a “grandeza” do Rio, só fazem ele parecer menor.

rolé-carioca-serhurbano

O projeto Rolé Carioca é uma viagem no tempo dessa tal cidade maravilhosa que tanto se fala, uma investigação irreverente para o entendimento real da alma carioca. Os passeios são apresentados pelos professores William Martins e Rodrigo Rainha que, ao contrário dos guias turísticos massantes estão mais para amigos sinceros, que conquistaram seguidores oficiais do Rolé, e vão ao longo de cada caminhada agregando outros curiosos. Com muito conteúdo, mas dando o papo de uma maneira leve e divertida, a cidade do ponto de vista acadêmico se torna familiar e cheia de novos atrativos para o público.

rolé-carioca-serhurbano-1

Foto: Thiago Diniz
Foto: Thiago Diniz

Pelos mais diversos bairros e regiões, para além do clichê praia e sol, o projeto caminha descontraído pelo nome que leva e pelo Rio, pra mostrar ruas, conjuntos arquitetônicos, personagens, patrimônio imaterial, histórias e curiosidades que juntos constroem a identidade da cidade e dos moradores que dão muito rolé por aí.

Cais do Valongo
Cais do Valongo / Foto: Leandro Paulo
Santa Cruz / Foto: Thiago Diniz
Santa Cruz / Foto: Thiago Diniz
Jardim do Méier
Jardim do Méier / Foto: Leandro Mendes

“O Rio e os cariocas não foram uma invenção, um acidente. Ao passear pela cidade, é possível para o morador se identificar, entender suas origens, seu estilo, seu cabelo, a complexa narrativa que o envolve e identifica. E para não moradores, essa alma carioca exala a cada esquina, com cheiros, cores, formas e pessoas que moldam a cidade” – explica o historiador Rodrigo Rainha.

Esse ano o projeto chega em sua 3ª edição, chegando a marca de 20 rolés, já tendo caminhado por mais de 50 km com narrativas vivas da História do Rio de Janeiro. Já passaram por bairros e locais que não protagonizam cartões postais, mas que tem muita história pra contar, como: Cinelândia, Madureira, Rio Comprido, Gamboa, Vila Isabel, Praça Tiradentes, São Cristóvão e Méier.

Nesse domingo (30), o Rolé Carioca chega no Catumbi e completa o quinto passeio histórico-cultural desta terceira edição. O bairro abrigou várias figuras históricas do país, grandes músicos, compositores e cantores.

“No Catumbi ainda há muitos sobrados, casas geminadas, cadeiras na calçada e botecos, muitos botecos. Portanto, não poderia ser mesmo diferente, em se tratando de um bairro que viu Pixinguinha nascer, criou Jorge Ben e abrigou Ataulfo Alves, Vicente Celestino, Ismael Silva e Moreira da Silva. o último dos malandros, que nunca bebeu” – conta Rodrigo.

rolé-carioca-catumbi

O roteiro do passeio prevê o seguinte trajeto: Rua Frei Caneca, Rua Carolina Reidner, Rua do Chichorro, Rua Itapiru, Rua dos Coqueiros, Mem de Sá, Sinagoga do Rio de Janeiro e Praça da Cruz Vermelha. Entre os principais locais a serem visitados estão o antigo Complexo Penitenciário Frei Caneca, o Sambódromo, o Cemitério São Francisco de Paula, a Igreja Nossa Senhora de Salete, o Túnel Santa Bárbara e a Sinagoga Grande Templo Israelita.

rolé-carioca-catumbi-2

O ponto de encontro será em frente ao portão do antigo presídio, na Rua Frei Caneca, 441, às 9h. Lembrado que rolé que é rolé é gratuito e não exige inscrição. 😉

The following two tabs change content below.
Bruna Messina

Bruna Messina

Não curte futebol, mas joga nas 11. Redatora, Roteirista, Analista de Mídias Sociais, Produtora e Phd em deboche e ironia.
Bruna Messina

Latest posts by Bruna Messina (see all)