Category Archives: A rua é nóiz!

O Caso do Pixador e a Supervia no Rio de Janeiro

No dia 11 de setembro, circulou nos meios de comunicação e nas redes sociais um vídeo em que seguranças da Supervia – empresa concessionária que administra o serviço de trens na cidade do Rio de Janeiro – registram o momento da apreensão, supostamente em flagrante, de um pixador. No auge do seu abuso funcional, agridem fisicamente o pixador como forma de puni-lo pelo ato de pixar o muro da estação de trem. …Continue lendo>>>

Semana Mundial de Arte de Rua

Desde ontem (21) até o dia 27 de Setembro, a cidade do Rio de Janeiro recebe em suas praças um Festival de Arte de Rua, em comemoração à Semana Mundial da Arte de Rua.

semana-mundial-de-arte-de-rua

A ideia que partiu dos hermanos de Buenos Aires resultou em adesões de várias cidades do mundo, onde realizam seus próprios festivais na mesma semana. A união, mostra a tomada de consciência global de que a arte de rua está viva, em crescimento e presente mundialmente. A semana que tem como objetivo a arte de rua como forma de expressão, também quer atentar a população e o poder público para os problemas mais comuns ao artista de rua – proibições, falta de reconhecimento, defesa da cultura do chapéu, etc.  …Continue lendo>>>

Mini Graffiti

Quando vim morar na Lapa, uma das primeiras coisas que chamou a minha atenção foi o Barbudinho, personagem grafitado por Fernando Sawaya, o Cazé, que aparece em diversas situações inusitadas pela região central do Rio. A partir de então, fui entendendo o traço dele e reconhecendo outros dos seus personagens por aí, todos com uma pegada bem humorada, uma dose de crítica e protesto, mas sempre de forma amável e gentil.

barbudinho
painel gigante 1
painel gigante 2
Até o dia que o 8-bitch foi convidado para participar da Oficina de Grafite e Arte Urbana que ele promove no Morro da Casa Branca, na Tijuca, bairro onde os dois maiores paineis de grafite são assinados por Cazé (um de 8 metros de altura por 10 de largura e outro de 6 metros de altura e 4 de largura). Foi quando ficamos sabendo de uma exposição genial que ele estava organizando: o “Mini Graffiti”.

A ideia surgiu durante outra exposição com coletivos e artistas urbanos que também rolou na Cazota, uma produtora com um espaço super bacana e uma vontade grande de movimentar o seu entorno. “A obra criada pelo Efixis chamou muita atenção. Era um pequeno muro com mini tijolos que nos fez decidir pensar em algo maior que sustentasse essa ideia e pudesse trazer uma nova perspectiva de suporte.”

6U4A9506
6U4A9507
6U4A9509
6U4A9410
Cazé então reuniu outros seis artistas, em uma curadoria com total liberdade criativa e ênfase na produção independente. Bella, Biofa, Birita, Gloye, Nobã e Pakato, além dos próprios Cazé e Efixis, usaram os murinhos de 25cm x 15cm como um recorte da cidade. “A proposta é que o espectador possa levar o grafite para casa e reflita sobre o que é o espaço público.”

O muro: tijolo, massa e tinta. Esse é o principal suporte do grafite e é isso que quem passar pela Mini Graffitti vai ver!

SERVIÇO
Data abertura: 17 de setembro (quinta – feira), das 17h às 22h
Período de exposição: 17 a 20 de setembro
Horário de visitação: sexta a domingo das 14h às 20h
Endereço: Av. Beira Mar 406, sala 405 – Centro – RJ
Telefone: 21 99972-1642 // 21 2524-8592
Entrada Gratuita/Classificação livre

Bora dar um Rolé?

Tá todo mundo careca de saber e cansado  do blá, blá bá turístico que gira em torno do Rio de Janeiro. Praia, Cristo, Pão de Açúcar, Copacabana, Ipanema e Leblon. É a cidade retratada e contada pelos olhos do Manoel Carlos na novela das 20h. Penso que enquanto tentam mostrar a “grandeza” do Rio, só fazem ele parecer menor. …Continue lendo>>>

Novecinco Euro Detour

O fotógrafo Hugo Inglez  é uma figura de visual fácil de lembrar. Na última vez que nos encontramos, ele estava prestes a viajar para a Europa e fui contagiada pela sua empolgação com o que estava por vir. Tanto que, no meio da correria da viagem, ele manteve dois diários de bordo: Diário 1 e Diário 2.

As histórias são contadas por suas lentes, que parecem trazer um pouco dos ares de lá pra cá, entre exposições e painéis da Novecinco, representada no velho continente pelos artistas Combone Wesley, Heitor Corrêa, Pedro Jardim e Rique Inglez, além do próprio Hugo. Me peguei viajando pelas fotos e pedi que ele contasse um pouco mais sobre o que estava rolando na trip. Trocamos algumas mensagens e em todas, dava pra sentir o quanto ele estava absorvendo daquela experiência, que segue… …Continue lendo>>>

Ágoras Cariocas – Próxima estação: Honório Gurgel

Quantas vezes na rua você já cruzou com um ônibus da linha 362 e se perguntou: afinal, onde fica Honório Gurgel? Linha antiga, que leva à Praça 15, atravessando a Avenida Brasil, e passando por dentro de bairros vizinhos como Rocha Miranda e Coelho Neto, o 362 é uma das conexões de Honório com o Centro dessa cidade que a gente tanto ama, canta, admira, mas que conhece tão pouco.

É disso que trata o Ágoras Cariocas, que desembarca no dia 22 de agosto, na Praça Othon de Almeida, mais conhecida como a praça do 362, no conjunto do antigo IAPI, em Honório Gurgel. Uma das invenções do Norte Comum, o Ágoras Cariocas tem como condutor o professor de história Luis Antonio Simas, que de conversa em conversa, de bairro em bairro, tem percorrido a Zona Norte contando e ouvindo histórias de lugares que, se você não prestar atenção, vai passar por eles sem reparar. Coisas da Zona Norte, que enfileira ruas, esquinas, praças, vidas que, se bobear, acabam invisíveis, como se não se não existissem. E negar a alguém o direito à existência é coisa que não devia acontecer! …Continue lendo>>>