cineclube-mate-com-angu-serhurbano-baixada

Mate com Angu alimenta a fome de cultura da Baixada

Vai um mate com angu? A mistura parece ser muito doida, e é mesmo. Desde 2002, em Duque de Caxias, o coletivo audiovisual Mate com Angu promove ações de cunho sociocultural para os moradores da Baixada Fluminense.  O grupo tem como proposta exibir e produzir imagens que estejam relacionadas ao contexto da região para que, desta forma, seja estimulado um debate entre os moradores de Caxias e adjacências.

mate-com-angu-cineclube-serhurbano-baixada

foto: Úrsula Nery
foto: Úrsula Nery

A importância também está nos encontros físicos com sessões de filmes, sempre realizados na última quarta-feira do mês. O evento do último mês rolou no dia 29 de abril e teve a comunicação como tema principal. A comunicação? Não, a falta dela.

Quem vive na Baixada sabe bem como é. Mas acho que isso implica não somente as comunidades que aqui existem, mas também todo o Rio de Janeiro. Aqui rola muito disso: a falta de diálogo, o “vamos marcar” sempre dito da boca pra fora, a competição entre grupos que deveriam se unir, entre outras situações. Tudo isso gerou um certo burburinho antes do início da sessão “Olho no Olho”, nome escolhido para passar exatamente essa mensagem: Vamos nos olhar mais e nos comunicar mais!

Mate-com-angu-cineclube-baixada

Os filmes para compor esta edição do cineclube foram escolhidos a dedo. No total, 13 películas foram selecionadas. Entretanto, o curta “A Distração de Ivan”, de Cavi Borges e Gustavo Melo, teve um probleminha e não pôde ser exibido. Mas sem problemas, o público contou com uma sessão incrível que fez pensar, rir e chorar. Destaco uma produção bem independente chamada “Sinceridade”, de Wagner Novais, que conta a história de um homem que está sempre em busca da verdade.

No final de cada evento do Mate com Angu, musiquinha para animar os corações. Não poderia ser diferente. Ah! Para quem ama uma sessão de cinema com cervejinha do lado, o rapaz do bar é um querido e a cerva está sempre gelada!

Este encontro também teve um peso especial por outro motivo: no dia seguinte (30 de abril) seria comemorado o Dia da Baixada.  A data, que surgiu em 9 de dezembro de 2000, tem como objetivo estimular o crescimento da autoestima da população fluminense, celebrar seus valores e discutir os problemas atuais. Pessoalmente, posso afirmar que um coletivo como o Mate com Angu é de suma importância para esse debate.

Vale a pena procurar pela internet e dar um confere nos demais filmes quie rolaram, pois também merecem atenção. Anota aí:

Filmes da Sessão Olho no Olho:

O Despertar de Glauber
trailer do filme novo do Cineclube de Guerrilha da Baixada. TCC do curso avançado de realização cinematográfica da Escola Darcy Ribeiro.

Nada A Declarar, de Gustavo Acioli (2003)
Retrato da elite brasileira através de um artista em estado crítico. Elenco: Bruce Gomlevsky.

Comunicação, de Bruno Sommerfeld (2011)
Animação produzida no Projeto Fábrica Animada, da Fábrica do Futuro.

Offside, de Erez TAdmor & Guy Nattiv (2008)

Sinceridade, de Wagner Novais (2005)

Alinhavando Uma Vida melhor, da TV Maxambomba (1991)
Documentário sobre a cooperativa de costura do bairro Rancho Fundo (Nova Iguaçu).

Hombre Atado A Una Silla, de Enrique Pérez (2008)
Produção Best Picture System / Cuba – Panamá

Comunicação, de Heraldo HB (2009)
Uma madrugada. Uma D.R.

Violentamente Pacífico, de Gabriel Teixeira (2008)
Monólogo de Ras Mc Léo Carlos. Filmado no bairro da Paz, periferia de Salvador/BA

Los Gritones, de Roberto Pérez Toledo (2013)

A Distração de Ivan, de Cavi Borges e Gustavo Melo (2009)

A Palavra Mais Difícil, de Bruna Baitelli (2009)
Filme vencedor da temporada de 2009 do Cel. U.Cine Festival de Micrometragens.

Homenagem ao diretor de teatro Antônio Abujamra.

The following two tabs change content below.
Cinthia Karina Fonseca

Cinthia Karina Fonseca

Fluminense, jornalista, assessora de imprensa, analista de redes sociais, redatora, poetisa e cinéfila. Escreve. Ponto. A Baixada está no coração e o Rio pelos pés.