Tag Archives: abayomy-afrobeat-orquestra

Fela Day Brasil – Afrobeat de Norte a Sul

Fela Anikulapo Kuti estaria soprando a velinha de 76 anos hoje (15 de outubro), caso as complicações decorrentes da AIDS não o houvesse matado em 1997.

Nascido próximo a Lagos, capital da Nigéria, em 1938, o saxofonista Fela inventou, a partir do tradicional high life nigeriano e elementos de jazz, um gênero musical novo, o hipnóticoenvolventenãoconsigoparardedançar Afrobeat. Bastaria isso pra garantir sua influência na cultura de todo o mundo. Mas ele foi além. …Continue lendo>>>

Setembro de Maré cheia com Abayomy Afrobeat Orquestra

A partir de hoje a Abayomy Afrobeat Orquestra, leva os tambores, sopros e guitarradas de Fela Kuti para a Maré, comunidade que sempre abraçou a banda e por conta de tanto carinho levou a criação do projeto “Na Maré da Abayomy“.

na-maré-abayomy-serhurbano

Durante as sextas de setembro (05, 12, 19 e 26/09) a banda se apresenta na 
Lona Cultural Herbert Vianna sempre com convidados da pesada como  Felipe Cordeiro (05), Jards Macalé (12), Otto (19) e Bnegão (26), além da realização de oficinas de dança, música, instrumentos musicais e capoeira.

…Continue lendo>>>

Zé Vito – Já carregou nos ouvidos

Talvez a pausa para o cafézinho na capa de “Já Carregou“, disco solo do cantor, compositor e músico Zé Vito, tenha sido o único momento de intervalo que o cara tenha desfrutado nos tempos recentes.

Integrante da popular Abayomy Afrobeat Orquestra e atualmente da banda do Jards Macalé, o cara aproveitou cada brecha na agenda para registrar as canções que compõem este trabalho.

Engana-se quem acha que o disco é um complemento do que Zé Vito já realiza com estes outros trabalhos ou com sua banda anterior, a Sobrado 112. Nesta obra é o rock, o blues e composições que são crônicas e declarações de amor que dão as cartas.

…Continue lendo>>>

Pra Ouvir de Capacete apresenta – “Sobre as Cores e o Nosso Tempo” de Leandro Joaquim

No ano de 2005, me mudei para o Rio de Janeiro em busca de música, arte e novidades. Uma procura por um novo Eu que ainda não conhecia.

Morei em uma casa na Glória, na rua Benjamin Constant 112 – Sobrado e fiquei por lá cerca de um ano. Após deixar a casa, abri uma vaga no casarão que logo seria preenchida por uma figura muito interessante: Leandro Joaquim. …Continue lendo>>>