Tag Archives: noo

Música, Independência e Coletividade

Outro dia eu estava conversando com uma amiga numa mesa de bar e chegamos à conclusão de que iríamos começar uma pequena revolução no nosso círculo de amizades. Estudamos em Niterói e a maioria dos rolês que frequentamos são por lá, pela Zona Sul ou pelo Centro do Rio, mas nós duas moramos na Zona Norte e a gente sabe que aqui tem uns lugares bem bacanas pra se conhecer. Nossa revolução seria essa, reforçar cada vez mais pros nossos amigos que na Zona Norte também tem muitos eventos bons, bares super baratos e super tendência e que a cultura aqui borbulha. O subúrbio é lindo.

Calhou de logo depois dessa conversa a gente ficar sabendo da existência de um evento super maneiro que aconteceria na Penha, uma parceria do coletivo Subsolo com o coletivo Leopoldina Orgânica. Nele ia rolar uma feira orgânica pela manhã e shows de artistas independentes pelo resto da tarde. Eu e Carol – minha amiga da revolução – pegamos nossas coisinhas e fomos nos divertir, só que dessa vez pertinho de casa. …Continue lendo>>>

D de Doutrinador

Nesse momento, após mais de 40 mil curtidas desde sua primeira aventura nas redes sociais e várias aparições em páginas sobre Histórias em Quadrinhos (HQs) tanto daqui como na gringa, você já deve ter visto por aí uma figura de preto chamada Doutrinador.

Ao contrário do que muita gente pensa, o “herói” da máscara de gás que anda causando na web surgiu bem antes das passeatas e dos black blocs que tomaram as ruas do Brasil a partir de junho de 2013.

Batizado no início como “Vigilante” (em 2008) e engavetado durante algum tempo, o personagem finalmente marcou presença na internet no mês de Abril de 2013, já utilizando o nome DOUTRINADOR.

O resto é história. Em quadrinhos. …Continue lendo>>>

Na Batalha do Passinho

Comigo! Tchutchá tchá tchum tchum tcha, tchum tchum tchá!

Dia 31 de maio de 2015 entra pra história. O Festival Internacional de Danças Urbanas Rio Hip Hop Kemp, vulgo H2K baixou com a quinta edição no Rio de Janeiro no suingue do passinho. O Teatro Municipal abriu pela primeira vez as portas para o funk e deixou ele entrar com tudo: muito estilo, emoção e calor. Ah, ele entrou de bermuda também! O H2K vem desempenhando um papel fundamental na vida dos meninos e meninas que sonham e acreditam ser possível viver da dança criada nas ruas. Com toda dificuldade e resistência, uma grande parte desses dançarinos urbanos tem desbravado e rompido com as barreiras do preconceito social, racial. Exemplo emblemático foi a Cia Na Batalha, formada há um ano, atualmente com 10 dançarinos de passinho, jovens de 16 a 22 anos que brilharam no último domingo no palco do Municipal. Sim, eles brilharam! Cada vez que eu esbarrava em um deles era contagiada com a felicidade, sorriso arreganhado e muita festa. …Continue lendo>>>